Camaquã poderá ter uma agência do Ministério do Trabalho

Fonte: Ascom/Prefeitura/Mayara Farias

Camaquã e Ministério do Trabalho O município de Camaquã poderá, em breve, receber uma agência do Ministério do Trabalho.

A medida tornará a emissão de Carteira de Trabalho, Seguro Desemprego e emissão de certidões, entre outros serviços mais acessível e ágil.

O encontro entre o prefeito João Carlos Machado e o superintendente regional do Trabalho e Emprego Flávio Zacher, se deu na terça-feira (25), quando foram tratadas questões técnicas referentes à implantação da agência.

Por ser uma cidade polo, com indústria, comércios e serviços em expansão o município foi escolhido para sediar uma agência regional.

A prefeitura irá analisar as necessidades físicas e burocráticas para a implantação desse importante órgão.

Retroescavadeiras serão entregues à comunidade

 

O impasse das duas retroescavadeiras foi resolvido: o dinheiro das maquinas foi depositado na segunda-feira (24). Assim que o prefeito João Carlos Machado tomou conhecimento entrou em contato com João Bertotto, representante da Makena, para pedir que o contrato, bem como a questão da garantia do equipamento, sejam mantidos. Em breve, as máquinas serão entregues à comunidade.

 

Relembre o caso

 

Município de CamaquãEm 2012, o deputado Sérgio Moraes contemplou o município de Camaquã com uma emenda no valor de R$ 487.500,00 que beneficiaria com duas retroescavadeiras os produtores da Santa Auta e Bonito.

Na sequência, a Caixa Econômica Federal autorizou a licitação para a compra dos equipamentos, na qual a empresa Makena saiu vencedora.

A Prefeitura de Camaquã encaminhou devidamente a contrapartida no valor de R$ 42.391,30 para o banco.

Em 2014, as máquinas foram entregues para a prefeitura, porém a entrega técnica não pode ser feita, pois o dinheiro da emenda não foi repassado. As máquinas ficaram guardadas no depósito da prefeitura em perfeito estado de conservação e nunca foram utilizadas.

 

Por não terem sito quitadas, o prefeito optou em não entregá-las a comunidade, uma vez que o equipamento não havia sido pago e a garantia e a manutenção não seriam assumidas pela empresa. O prefeito reuniu-se por diversas vezes com os representantes da Makena e com membros das comunidades que receberiam as máquinas, a fim de tentar chegar um acordo que beneficiasse os produtores e que mantivesse as questões contratuais.

 

Em julho, foi realizada uma audiência pública na Câmara Municipal de Vereadores, com o objetivo de buscar soluções. Na ocasião, o deputado autor da emenda reconheceu que não sabia o que poderia ter acontecido, visto que a emenda foi autorizada, mas o dinheiro não foi depositado.

 

A decisão de não utilizar o maquinário sem que estivesse quitado, foi pautada pela responsabilidade e respeito tanto com a Makena quanto com os produtores beneficiados.

 

Tags: João Carlos Machado, Ministério do Trabalho, online, Prefeitura de Camaquã, Tapes

Enviar comentário

voltar para Camaquã

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||