Comitiva de Camaquã se reúne com Secretário de Segurança Pública

Fonte: Ascom/Prefeitura

Foto: Rodrigo Ziebell

Encontro tem como objetivo levar reivindicações

Segurança públicaUma delegação de representantes de diversas entidades de Camaquã se reúne nesta quarta-feira (19), com o Secretario Estadual de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Wantuir Francisco Brasil Jacini.

O encontro realizado na SSP em Porto Alegre teve como pauta a situação de insegurança que Camaquã vem passando nos últimos meses, pelo constante aumento da criminalidade.

Estiveram presentes o prefeito João Carlos Machado, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Vinícios Araújo, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Camaquã – ACIC, Leonardo Costa, o presidente do Sindilojas, Luciano Stasiak Barbosa, o presidente da OAB/RS – Subseção Camaquã, Carlos Henrique Dias Brasil, o presidente do Sindicato Rural de Camaquã, Jorge Longaray Jaeger e o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Camaquã, Edmundo Peter.

Na ocasião, foi entregue ao secretário uma lista de reivindicações e um breve relato do cenário da região.

O documento assinado pelas entidades é fruto de diversas reuniões e aponta a necessidade imediata da implementação em nossa Cidade: a designação de no mínimo trinta Policiais Militares para policiamento ostensivo, a designação de no mínimo cinco militares para o Corpo de Bombeiros, o aumento específico para a Policia Militar de Camaquã – 30º BPM-Sede de mil horas-extras mensais, visando o aumento de policiais para policiamento de rua, a destinação de duas motocicletas de trezentas cilindradas, para o policiamento motorizado a ser qualificado em nossa cidade e a designação de no mínimo vinte Policiais Civis, divididos entre as suas diversas categoria, escrivão, inspetor de polícia e investigadores.Segurança em Camaquã

A justificativa é de que o Município de Camaquã sempre pautou suas ações em prol da comunidade e sempre buscou na área da segurança manter ações que pudessem de alguma forma, fortalecer o trabalho realizado pelo Estado do Rio Grande do Sul.

As ações de crescimento do município que acabam igualmente estendendo-se para outras áreas, fizeram de Camaquã um município “Polo”, com comércio e prestação de serviços muito forte, que acaba agregando a circulação de bens e capital, não só de nossa cidade, mas de todas as cidades geograficamente próximas, que somadas atingem, segundo Senso IBGE 2014, em torno de 162 mil habitantes.

Um trecho da carta entregue salienta que esta realidade trouxe apreensão: “Esta situação, que muito orgulha nossa cidade, passou nos últimos meses a ser motivo de muita preocupação em virtude do aumento assustador de abordagens a pedestres, assalto a mão armada, roubos e furtos, fatos estes ocorridos muitas vezes em pleno dia, trazendo muita insegurança a todos que aqui vivem e transitam pela nossa região”.

Outra parte ressalta que a atuação da Policia Militar, Policia Civil e do Corpo de Bombeiros é exemplar, entretanto, a defasagem, seja de recursos humanos, seja de material permanente, faz com que a insegurança e a criminalidade em nossa cidade tomem rumos que estão assustando a todos.

E salienta que a escassa aplicação de recurso por parte do Estado do Rio Grande do Sul em Camaquã, seja na parte de “efetivo” ou na parte de “permanente/viaturas”, faz com que a prestação do serviço seja deficitária no aspecto “segurança pública”.

A situação dos Policiais Civis não é diferente da Policia Militar, apresentando defasagem de pessoal, em índices muito semelhantes, além de deficiência e sucateamento de material permanente.

O balanço revela ainda que a Policia Militar também presta atendimento ao policiamento externo do Presidio Estadual de Camaquã, que abrange a ressocialização de presos de mais de 12 (doze) municípios, sendo que a capacidade máxima seria de 86 (oitenta e seis) detentos, entretanto, hoje já conta com mais de 335 (trezentos e trinta e cinco), extrapolando a sua capacidade, tornando impossível a ressocialização da população carcerária.

No desfecho, o documento salienta que a iniciativa representa o anseio de uma comunidade que está vivendo pleno estado de insegurança, sendo necessário por parte do Governo do Estado que efetive medidas urgentes para atender a nossa comunidade.

Biblioteca Pública comemora 55 anos

Foto: Mayara B. Farias

 A Biblioteca Pública Municipal Oswaldo Lessa da Rosa comemorou, na terça-feira (18), seus 55 anos. A celebração contou com diversas atividades, como Ônibus Biblioteca do programa Conte Mais, jogos recreativos do SESC e palestra motivacional para as auxiliadoras de biblioteca da Rede Municipal de Ensino.

Na ocasião, foi descerrada a placa em homenagem ao patrono Oswaldo Lessa da Rosa. A solenidade contou com a presença dos familiares que emocionados acompanharam a cerimônia.

A secretária de Cultura e Turismo, Marla Crespo, ressaltou a importância da biblioteca e o esforço do Poder Público Municipal em manter a biblioteca organizada conforme normas técnicas de biblioteconomia, agregar ao acervo títulos atuais e aproximar a biblioteca da comunidade. “Desenvolvemos vários projetos com o objetivo de incentivar a leitura, principalmente em crianças e jovens”, ressalta a secretária. A professora Iara da Cruz, frequentadora assídua do espaço, afirma que se sente bem em meio aos livros. “É um ambiente muito bom e os funcionários são dez”, ressalta.

 Patrono

 O ano de 2015 registra o 90° aniversário de nascimento do escritor e poeta, Oswaldo Lessa da Rosa. Natural de Pelotas, onde nasceu a 19 de março de 1925, o professor que também foi advogado enamorou-se de Camaquã em 1956, adotando esta terra como sua segunda querência.

Falar sobre o Dr. Oswaldo Lessa de Rosa é rememorar um pouco da história do município. Cidadão atuante na área educacional e social, foi responsável por grandes iniciativas que dinamizavam a educação local. Vereador imparcial e cronista consciente foi artífice de significativas transformações. Postura esta que motivou a comunidade a conceder-lhe o título de camaquense Honorário.

Embora as muitas atividades que lhe furtavam o tempo, Dr. Oswaldo sempre esteve presente nas grandes conquistas culturais do município, especialmente no campo tradicionalista, tendo participado da fundação do CTG Camaquã. Na área literária, além de artigos diversos, deixou incontáveis contos, crônicas e poesias espalhadas por jornais da cidade.

Sua criação poética cabe dividi-la em duas fases distintas: poesia nativa, de uma simplicidade natural, que mistura cheiro de campo as coisas típicas do pago; e a poesia lírica, que revela um autor mais intimista, sem deixar, no entanto, de retratar os conflitos do homem em busca da plenitude.

Em janeiro, aos 76 anos de idade, Camaquã perdeu um ilustre cidadão e a literatura, um fértil poeta. Felizmente para os camaquenses suas obras sociais são reconhecidas e sua poesia resgatada para a posteridade.

Tags: João Carlos Machado, online, Prefeitura de Camaquã, Segurança Pública, Tapes

Enviar comentário

voltar para Camaquã

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||