Expoarte contabiliza excelente resultado em Camaquã

Fonte: Ascom/Prefeitura

ExpoarteA 13ª Expoarte, exposição e comercialização de artesanatos e ainda de integração dos Clubes de Mães de Camaquã foi um sucesso de acordo com o coordenador do Centro de Geração de Renda e do Setor de Cursos Setor, Leandro Decavatá: “Estamos muito satisfeitos”, destaca.

Realizada de 2 a 4 de setembro no Centro Administrativo, a estimativa é de que a feira foi visitada por 800 pessoas.

Os números mostram ainda que, nos três dias de evento, foram comercializados R$ 6 mil em peças de artesanato como crochê, biscuit, tricô, macramê, pintura, bordado, entre outras técnicas pelos 18 instrutores expositores, 29 Clubes de Mães e cinco entidades que expuseram.

Durante o evento promovido pela Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social, os visitantes que adquirissem artesanatos participavam também do sorteio de brindes e ganhavam serviços de beleza. Expoarte Camaquã

Ao todo, foram 210 pessoas atendidas com a prestação de serviço como unhas decoradas, limpeza de pele, maquiagem, corte de cabelos e penteado.

 

Atraso nos repasses da União interrompe obras de calçamento

 

Os moradores da rua Cristal e da rua Miguel Lopes de Almeida, no bairro Viegas e Jardim respectivamente, estão apreensivos com as obras de calçamento. As obras que são executadas pela construtora Gomes Dull, contratada através de licitação, começaram em meados de junho e pararam em julho.

 

Ambas serão realizadas através de verba do Ministério das Cidades e contrapartida da Prefeitura, totalizando cerca de R$ 1,1 milhão.

Obras de calçamentoA rua Miguel Lopes de Almeida está empenhada, porém não há previsão para que a União realize o depósito e por orientação da Caixa Econômica Federal, a construtora optou em paralisar o trabalho.

A moradora Carmem Machado estava empolgada com o início da obra, agora, sente-se frustrada.

“Assistimos na televisão tantos casos de corrupção envolvendo valores muito maiores que esse da nossa rua, é inaceitável que a rua não seja calçada por falta de pagamento”, desabafa. 

 

A situação da rua Cristal era semelhante até a terça-feira (8), quando foi feito o depósito de 50% do valor, dessa forma, a construtora deverá retomar a obra em breve.

A moradora Elisiane Dias acredita que a interrupção no calçamento causou inúmeros danos, visto que a poeira e o barro aumentaram.

“Essa situação é muito ruim”, salienta.  O proprietário da construtora, Francisco Gomes Dull, lastima o imprevisto e afirma que o trabalho só vai continuar após a certeza que a obra será paga.

 

O prefeito João Carlos Machado lamenta o fato.

 

Tags: Expoarte, Obras públicas, online, Prefeitura de Camaquã, Tapes

Enviar comentário

voltar para Camaquã

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||