Maio com chuva acima da média no norte do RS, diz IRGA

IRGA/SOMAR METEOROLOGIA

Temperatura da Superfície do Mar

TEMPONOAA (Agência Americana de Meteorologia e Oceanografia) projeta aquecimento do Pacífico até o final de 2019.

ANÁLISE:

Em boletim atualizado em 11 de abril, NOAA estendeu a previsão de um El Niño fraco ao longo de todo o ano de 2019.

Segundo o órgão, há possibilidade do desvio de temperatura do Pacífico equatorial central permanecer acima de +0,5°C.

O órgão ressalva que as previsões feitas durante a primavera tendem a ser menos precisas.

Assim, a chance prevista de que o El Niño persista durante a primavera é atualmente de 50 a 55%.

Já o Instituto da Sociedade Internacional de Pesquisa de Clima da Universidade de Columbia (IRI) vai além e mantém tendência de 51% do Oceano Pacífico aquecido no trimestre nov-dez-jan, contra os 38% de probabilidade de neutralidade e 11% de probabilidade de La Niña.

É importante frisar, no entanto, que mesmo assim o fenômeno seria mais fraco do que estamos presenciando atualmente. Assim, o padrão continua semelhante ao registrado em 2015.

Naquele ano, a temperatura do Pacífico mais elevada que o normal garantiu chuva acima da média no centro e sul do Brasil (Região Sul, São Paulo e Mato Grosso do Sul) durante o outono e inverno.

Somente ainda é possível extrapolar esta correlação para o último trimestre de 2019. Por enquanto, previsões mais estendidas indicam que o Pacífico não conseguiria sustentar a chuva forte sobre toda a Região Sul entre outubro e dezembro, situação diferente da observada em 2015.

No Brasil Central (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso), o período úmido chegará ao fim a partir da segunda quinzena de abril. A partir daí, apesar do aparecimento de chuva acima da média em maio, por exemplo, estes episódios de precipitação serão mais esporádicos, embora eventualmente fortes.

No leste do Nordeste, o período úmido de meio de ano promete ser menos chuvoso que o normal, enquanto que a porção norte do Nordeste e partes do leste e sul da Região Norte receberão chuva forte no início do outono, enfraquecendo posteriormente.

A temperatura em 2019 permanecerá mais elevada que o normal na maior parte do Brasil, o que não significa que durante o outono e inverno tenhamos algumas ondas de frio intensas, mas com curta duração.

Temperatura - Previsão Geral

Abril termina com temperatura acima da média na maior parte do Rio Grande do Sul. A ausência de grandes ondas de frio fez com que a temperatura mínima ficasse até 3°C acima sobretudo no leste do estado. Somente a Fronteira Oeste registrou temperatura mínima e máxima dentro do normal. Nenhuma área do Rio Grande do Sul registrou frio mais intenso que o normal.

Previsão de temperatura acima da média nos próximos meses, mas com algumas quedas de temperatura.

Em maio, mais para o fim do mês, simulações indicam declínio mais acentuado da temperatura no Rio Grande do Sul, inclusive com potencial para geadas, sobretudo na Campanha e Serra.

Em junho, ainda com baixa frequência de frio, há maior chance de queda de temperatura na segunda quinzena do mês em relação à primeira.

Em julho, assim como nos mês anterior, a segunda quinzena será mais fria que a primeira. Especificamente em julho, com a previsão de chuva frequente, chama-se a atenção para um desvio mais negativo das temperaturas máximas (temperaturas da tarde) do que das temperaturas mínimas (temperaturas da manhã).

Precipitação - Previsão Geral

Abril termina com chuva irregular sobre o Rio Grande do Sul. O centro e leste do estado receberam acumulados acima da média, enquanto que o oeste e extremo sul receberam menos chuva que o normal. Em números absolutos, destacam-se os 200mm registrados nas regiões de Porto Alegre e Santana do Livramento. Por outro lado, a Zona Sul recebeu menos de 100mm.

Apesar de um fenômeno El Niño cada vez mais fraco, a expectativa é que o parco aquecimento ainda seja suficiente para influenciar a atmosfera da Região Sul neste mês de maio. A previsão é de chuva acima da média sobretudo no norte Rio Grande do Sul. Trata-se de um padrão diferente do registrado em 2018, quando, em função de um fenômeno La Niña em dissipação, boa parte da Região fechou o período com precipitação abaixo da média. Somente áreas do oeste e sul do Rio Grande do Sul terão chuva inferior à climatologia em maio de 2019, apesar da ocorrência de precipitação na segunda metade do mês.

Em junho, a chuva acima da média prosseguirá sobre a maior parte da Região Sul, porém com desvios mais importantes sobre o centro, oeste e sul do Rio Grande do Sul. O Estado receberá maiores acumulados na primeira quinzena.

Em julho, a chuva acima da média prosseguirá sobre os três Estados. No Rio Grande do Sul, os desvios serão mais expressivos na Metade Norte do estado. Dos três meses, julho promete ser o período com chuva mais persistente no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e sul do Paraná com precipitação significativa em ambas quinzenas. Simulações mais estendidas indicam manutenção da chuva acima da média na Região Sul entre agosto e outubro de 2019. Trata-se de algo natural já que, apesar de um El Niño cada vez mais fraco, a temperatura do Pacífico permanecerá acima do normal.

Somente alertamos para a possibilidade de variabilidade: chuva acima da média no trimestre, mas não obrigatoriamente chuva com grande freqüência e acima da média em todos os meses. A temperatura permanecerá acima da média, mas com alguns curtos declínios de temperatura até o fim de setembro.

 

Tags: chuvas e temporais, IRGA, online, somar, Tapes

Enviar comentário

voltar para Coluna Vc Réporter

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||