A causa animal foi tema de audiência e de cobranças de ações públicas em Tapes

Publicado por bira costa em 20/06/2018 às 23h25

Evento teve por objetivo encontrar maneiras de se combater a violência, o abandono e preservar a vida dos pet´s com maior dignidade

Redação Online/fotos: Bira Costa

audienciaA causa animal, em todos os aspectos esteve como tema central nos debates que protagonizaram a audiência pública com a presença de diversas pessoas ligadas ao tema, bem como de autoridades locais e convidadas, ao Plenário Armando Gross, na Câmara de Vereadores de Tapes, na noite desta quarta-feira (20/6).

Sobretudo, prevaleceu a cobrança de muitos a respeito da elaboração, imediata, de uma política pública que vise tornar os animais de pequeno e médio porte, sujeitos destas ações que objetivem a respectiva proteção, zelo e punição em caso de eventuais maus tratos, por parte de seus donos, e de terceiros.

Esta foi a quarta vez em que o tema veio à tona, citaram integrantes de organizações não governamentais, sem que a problemática tenha caminhado dentro de uma condição satisfatória, desabafaram as lideranças, no microfone.

Por ordem, a presidente do Legislativo de Tapes, Cátia Iribarrem, mencionou que a proposição desta audiência buscou a apresentação de ideias pertinentes ao tema, pois a sociedade tapense não pode mais “cruzar os braços” e sinalizou ao Poder Executivo uma maior aproximação a fim de solucionar a situação da grande população de cães e gatos, acima de tudo, existentes no município.

Já a delegada e também ativista da causa animal, Fabiane Bittencourt, de Tapes, ao final da audiência se propôs para os próximos dias reunir pessoas engajadas no processo, e, montar um grupo de trabalho efetivo e permanente para que todas as ideias expostas sejam parte de documentos com proposições e ações públicas, e, que de um modo geral contemplem a problemática, fonte deste encontro.audiencia

A policial relatou que, desde sua vinda ao município tem notado que neste setor há muito o que se fazer de modo concreto e efetivo.

Cobrou das autoridades constituídas postura, mas salientou que já vem obtendo resultados, pequenos, mas positivos.

“No município, há muitas denúncias de maus tratos aos animais, de todas às formas.

Observei que não temos, também, uma política pública; é muito frágil em nível municipal, mas vi que há interesse.

Precisamos evoluir, está na hora e a troca de experiências vai ajudar a chegarmos a uma solução”, ressaltou.

A delegada Fabiane citou que no município, dois são os maiores problemas neste aspecto: os cães e os cavalos, sendo que os equinos têm mais número de registros junto à D.P local.

Ela classificou o tema como “complexo” mas convocou a todos no plenário a não fechar os olhos, “refletir a médio e longo prazos sobres estas políticas públicas de defesa dos animais.”

audienciaEntre os convidados esteve a vereadora da cidade de Santa Cruz do Sul, Bruna Janine Mols, que descreveu como, através de uma árdua luta constituiu ações que, hoje, lá, são parte de políticas públicas, dentro de seu mandato parlamentar, em prol dos pequenos animais.

Disse que priorizou, num primeiro momento atuar na educação da sociedade, posterior, punir, via legal, os maus tratos e que hoje, fazem parte de ações, inclusive, em escolas públicas.

A vereadora portoalegrense e ativista da causa animal, Lourdes Sprenger, após expor sua trajetória neste tema resumiu alguns pontos em que viu serem úteis para que, em Tapes, esse mesmo problema obtenha um bom resultado.

Também falou a deputada estadual, Regina Becker Fortunatti. Ela pontuou que a sociedade não deve enxergar os animais como meros objetos e sim, sujeitos de direitos.

A deputada cobrou, firmemente, do prefeito de Tapes, Silvio Rafaeli a sua participação nesta demanda, via questões legais.

“A definição de políticas públicas em prol dos animais, não diminui aquelas destinadas a saúde humana. São complementares”, ratificou.

Por parte da vereadora de Camaquã, Ivana Colvara de Paula, uma das idealizadoras da entidade ARCA, ONG que cuida de cerca de 300 animais de rua, em parceria com o Poder Público local, muitos avanços foram alcançados, como a ajuda em verba em torno de R$ 35 mil, a castração de mais e 1.600 cães, até de uma clínica para cuidados com os animais.audiencia

“A única forma de se resolver esse problema de animais abandonados é com a castração; quanto ao ser humano, via a educação”, ponderou.

Ainda se pronunciaram, representantes de ONG´s como da Amigos do Bem, vereadores e, por fim, o prefeito Silvio Rafaeli.

Em sua fala, ele foi evasivo, justificando dificuldades financeiras, até mesmo, uma outra urgente reunião, junto ao Hospital Nossa Senhora do Carmo (HNSC), pois responde pela pasta da Saúde, para se ausentar, tão logo fez breve exposição de motivos a respeito do assunto.

Afirmou que deixa o seu governo à disposição para ajudar, mas, foi muito vago, tergiversando em relação a outros temas, como das carroças de reciclagem e os trabalhadores, sem especificar ou mesmo apresentar números concretos de sua administração a respeito de ações em prol dos animais, como prescrevia a audiência.   

O gestor encerrou a explanação, novamente, se apoiando na falta de verba para não implementar as políticas públicas aos animais, sinalizando uma vaga e desconhecida lei, que estaria em debate no Legislativo.

Ao final das exposições, as pessoas presentes puderam direcionar perguntas aos painelistas e expor situações, encerrando mais esta audiência em pequenos focos de debates e cobranças, mas em clima de superação e avanços, concluiu a delegada Fabiane Bittencourt.

 

Categoria: Comunidade
Tags: Animais e cães, Audiência Pública, Delegada Fabiane Bittencourt, online, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||