Duplicação da BR 116 é tema urgente em evento regional, em Camaquã

Publicado por bira costa em 20/04/2018 às 23h04

Muitas participações endossaram o problema econômico e de segurança da rodovia  

Redação Online/fotos: Bira Costa

br 116A duplicação da BR 116, que liga Guaíba até Pelotas, foi o tema central desta sexta-feira (20), quando mobilizou por volta do meio dia, a sociedade e a classe política de Tapes e de Sentinela do Sul, quando fizeram um manifesto de conscientização e apelo às autoridades governamentais para que a obra desta rodovia seja concluída em tempo hábil, visando maior segurança a todos que transitam neste trecho.

A ação popular, no Trevo de Tapes, durou cerca de duas horas, com faixas, cartazes, junto aos canteiros da rodovia.

Já em Camaquã, no painel Duplicação da BR 116 – Urgente, no teatro do Sesc, diversas autoridades municipais, regionais, estaduais, representantes do governo federal e do estado, debateram o assunto e consideraram pertinente e urgente a conclusão desta obra, acima de tudo, salientando, aspectos econômicos e de segurança.

Durante o evento, foram apresentados testemunhos de famílias que perderam filhos, amigos e parentes em algum momento na BR 116.

De acordo com o analista do DNIT, Hiratan Pinheiro da Silva, a BR 116, iniciada em 2012, está dividida em nove lotes, sendo atendidas por oito empresas e, já teria usado cerca de 59% dos recursos disponíveis previstos.

Em números, a rodovia já consumiu, em 2016, por exemplo, R$ 35 mi; em 2017, R$ 53 mi e numa segunda remessa R$ 40 mi, tendo uma previsão de R$ 99,5 mi para 2018.

Mas, ainda não seria suficiente para a sua conclusão, conforme os cálculos da UFPEL.

br 116

De acordo com os números da universidade, a não conclusão da rodovia federal, traz para a região Sul, uma perda econômica na ordem de R$ 2 milhões, por dia.

Esta mesma perda, se projetada em um ano, chegaria a R$ 700 milhões.

A UFPEL mostrou que, circulam pela rodovia, hoje, cerca de 1.125 caminhões/dia, e, os números de eventos, como acidentes, em 2016 que foi de 311, em 2017, chegou a 238.

“O prejuízo que se tem, já justificaria a conclusão da obra”, aponta o coordenador do EDR/UCPel, Ezequiel Megiato, dizendo que em mais dois anos e meio, pelo menos seriam suficientes para o fim dos serviços.

br 116

Para a conclusão desta obra, as previsões orçamentárias projetam que R$ 200 milhões.

Hoje, de acordo com o deputado federal e representante da bancada gaúcha, em Brasília, Giovane Cherini, após a articulação de emendas impositivas no orçamento da união, há cerca de R$ 120 milhões, mas seriam suficientes mais uns R$ 70 a 80 mi, para assegurar o fim do trabalho.

Presente ao evento, o senador, Lasier Martins disse que a pauta proposta foi muito relevante e, que, irá agendar para a próxima semana, com o presidente,Michel Temer, audiência a fim de levar às reivindicações desta região, por meio de fotos, vídeos, e assinaturas.

O evento encerrou com um painel, em forma de entrevista, com a mediação do jornalista da Rádio Gaúcha, Daniel Scola, tendo reunido, a presença de alguns representantes sociais e governamentais, ampliando o tema.

Categoria: Geral
Tags: BR 116, DNIT, online, SESC Camaquã, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||