Força-Tarefa da Polícia Civil combate os crimes rurais no RS

Publicado por bira costa em 14/06/2017 às 09h35

Fonte: Polícia Civil/foto: Arquivo

Polícia Civil desarticulou, inclusive em Camaquã, organização criminosa em uma das maiores ações de combate ao abigeato já realizadas no Estado

políciaUma grande ação de combate ao abigeato foi deflagrada pela Polícia Civil na manhã de hoje (14), em diversas cidades do Rio Grande do Sul.

A Operação Cooptare desarticulou uma das maiores organizações criminosas de abigeato do RS.

Ao todo, foram cumpridos 17 mandados de prisão preventiva, além de mandados de busca e apreensão em residências, mandados de apreensão de veículos (caminhões boiadeiros, caminhões frigoríficos, caminhonetes e carros), quebra de sigilo fiscal e bancário dos investigados, bem como o bloqueio de inúmeras contas correntes, totalizando 48 ordens judiciais, que foram representadas pelo delegado de polícia, Adriano Linhares, responsável pela Força-Tarefa de Combate aos Crimes Rurais e Abigeato, e expedidas pela 2ª Vara Criminal de Rosário do Sul.

A Operação Cooptare, coordenada pela Chefia de Polícia do Rio Grande do Sul, contou com a participação de aproximadamente 80 policiais civis em ações realizadas nas cidades de Santana do Livramento, Venâncio Aires, Dom Pedrito, Quaraí, Santa Maria, Júlio de Castilhos, Bom Retiro do Sul, Progresso, Camaquã, Palmeira das Missões, Arroio dos Ratos, Paraí e Canoas.

Em Arroio dos Ratos, ocorreu, também, o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em um frigorifico, onde os animais furtados pela quadrilha eram abatidos. Já na cidade de Canoas, um açougue pertencente a um dos líderes da quadrilha, também foi alvo de mandado de busca e apreensão. No local, era comercializada a carne oriunda do abigeato.

A operação foi denominada 'Cooptare' em razão de um de seus líderes, indivíduo preso na manhã de hoje em Venâncio Aires, aliciar capatazes e funcionários de propriedades rurais para que estes facilitassem o furto de animais nas propriedades onde trabalhavam. A quadrilha atuava também, além do furto de gado, na modalidade de estelionato, uma vez que em determinadas oportunidade compravam gado bovino, tanto no Rio Grande do Sul como em Santa Catarina mediante utilização de cheques sem previsão de fundos.

Esse é o resultado da dedicação de dez meses de investigações, dos policiais da força-tarefa, a essa quadrilha que já furtou mais de mil animais bovinos no último ano, tendo causado prejuízo não apenas aos produtores rurais gaúchos, mas como a todo o Estado do Rio Grande do Sul. Ao longo deste tempo, já foram cumpridas 29 prisões preventivas, o que somadas as 17 de hoje, totalizam 46 prisões preventivas, motivo pelo qual o delegado Adriano Linhares considera a Operação Cooptare, como sendo uma das maiores operações de combate ao abigeato já realizadas no RS.

Em Camaquã foram quatro presos, os quais já estavam no presídio por outra prisão preventiva. Hoje tomaram ciência dessa nova prisão preventiva decretada pela comarca de Rosário do Sul.

Categoria: Polícia
Tags: Quadrilha e roubos, Abigeato, online, Polícia Civil, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||