Interrupção dos serviços do CRVA em Tapes por falta do pagamento do aluguel da Prefeitura de Tapes segue sem solução e fechamento é iminente

Publicado por bira costa em 02/08/2018 às 11h17

Redação Online/fotos: Bira Costa

crvaDeverá ser lido na próxima Sessão Legislativa da Câmara de Vereadores de Tapes, no dia (6/8), por parte do vereador do DEM, Eduardo Sinchen, pedido de informações cobrando do Poder Público Municipal de Tapes, a respeito da problemática envolvendo o anúncio do fechamento do Posto de Atendimento do Centro de Registro de Veículos Automotores (CRVA) de Tapes, que fica na Rua Otávio Job, 460, órgão vinculado ao CRVA 0150, de Cerro Grande do Sul, em face do não pagamento de 14 meses de aluguel, repassado até então pela Prefeitura de Tapes.

Nesta última semana, na Sessão Ordinária do dia (30/7), alguns parlamentares se manifestaram sobre o tema e teceram críticas pela conduta do governo local.

Segundo Marcus Vigolo (PP), a partir do conhecimento do fato, apresentado em reportagem, exclusiva, pelo Portal Online Comunicação e Jornalismo, no dia 24 de julho, ficou um sentimento de inércia e de que a “luta” empreendida no passado não teve resultado mais efetivo.

“Envolveu vários setores e todos nós perderemos, pois teremos que se deslocar a outros municípios; é uma lástima”, declarou o vereador.

Já o colega Fabiano Dummer (PP), a explicação do gestor de que em Camaquã também não presta este mesmo tipo de serviço, não serve de justificativa.

“A prefeitura poderia ceder uma peça, locar uma casa, algo assim; mas deveria haver uma solução.

Não poderíamos deixar ir embora esse serviço pelo bel prazer e gastarmos com os deslocamentos, a empresa gosta de Tapes”, assinalou.

Um “plano B”, até tentou ser costurado envolvendo o setor empresarial, o que envolveu também a ACCITA, sem sucesso. Nesta manhã de quinta-feira (2/8), em contato com o CRVA de Tapes, foi informado de que os avanços a fim de reverter o problema não evoluíram.

O custo do aluguel contratado entre as partes, Prefeitura de Tapes e CRVA, mais o locador, Nelson Pinzon é de R$ 1.500,00, sob a sustentação de um programa municipal o PRODER, via Lei Municipal 2993.

No entanto, em razão de apontamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS), o governo municipal interrompeu os pagamentos, deixando em aberto a pendência financeira, que já se aproxima de R$ 21.000,00.

O Portal Online Comunicações, na ocasião conversou com a proprietária do CRVA de Cerro Grande do Sul, responsável pelo posto em Tapes, Rejane Maria Nedel Weschenfelder, que confirmou que deve comunicar do fechamento dos serviços no município tapense, ao Detran, em breve. O referido comunicado ainda não foi realizado, pois a empresa aguarda os últimos esforços sobre o caso.

“Tenho valores a receber da Prefeitura de Tapes, apenas recebi uma notificação de que não mais iria receber os valores pertinentes aos aluguéis do prédio, pois teria havido um apontamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE)”, citou a empresária.

PROMESSAS

Na oportunidade, o empresário Nelson Pinzon citou que, mesmo diante da proximidade com o prefeito Silvio Rafaeli, buscou solucionar o impasse em favor do CRVA, sem sucesso “(...) ficou somente na promessa”, afirmou.

Pinzon que espera ver os valores pagos; reiterou que está tranquilo quanto ao acerto para com a empresária Rejane  Maria Nedel Weschenfelder “são pessoas de bem”.

“Estou magoado, pois a administração municipal deixou passar tanto tempo e, agora, apresentou esse motivo legal. Eu tenho água e luz que pago por minha conta, dois ar condicionados no prédio.

Do governo veio apenas a palavra de que o TCE, teria avisado por telefone do apontamento, depois que, via aplicativo WhatsApp, o prefeito me enviou cópia do documento do tribunal, onde justificava dos motivos para o não mais pagamento do referido aluguel”, destacou Nelson Pinzon.

O QUE DISSE A PREFEITURA, NA PESSOA DO PREFEITO SILVIO RAFAELI:

Questionado a respeito do problema, o prefeito de Tapes, Silvio Rafaeli respondeu que os motivos justificados foram o já mencionado apontamento do TCE, em relação ao contrato.

“Pois, não tem adequação plausível com a lei de incentivo, o (Proder), infelizmente, lamentamos, mas, mesmo autorizado pela lei da Câmara dos Vereadores, o TCE mandou cessar, imediatamente, o incentivo.

Perguntamos também como a Administração Municipal de Tapes via a situação pendente entre o CRVA e o locador, quanto à dívida de aluguel, ele respondeu: “Isso é com o locador e o locatário.”

Ponderamos da possibilidade de o CRVA acionar judicialmente o governo de Tapes, para rever os valores em aberto, o prefeito citou. “É do direito deles entrar na justiça. Decisão judicial depois de dada, nós apenas podemos cumprir.”

“Dá para analisar que tem apelo público. 300 pessoas deixam de fazer vistorias em outros municípios. Porém, com o apontamento, não nos deixa dúvida em ter que cessar o pagamento. Para se ter ideia do contexto, em Camaquã, também não há interesse do cartório de imóveis em explorar o CRVA, e vem uma empresa do Cristal prestar o serviço”, exemplificou.

O gestor considera que a perda econômica ao município será importante, mas que rebateu assumir um compromisso que disse, não seria de sua administração.

“Não podemos absorver uma obrigação que não é nossa. É do cartório de imóveis. Se estivesse respaldado pelo TCE, sem problemas. Só não pode acontecer de sair unicamente do meu bolso. É isso que acontecerá se eu desobedecer: não é da Prefeitura; é do bolso do gestor” observou.

Ao final, interrogamos a respeito do valor de cerca de R$ 21.000,00 em aberto, e, o governante ressaltou que “a empresa não fazia a questão de receber o incentivo todo o mês. Deixava acumular.”

 

Categoria: Geral
Tags: CRVA, Eduardo Simchen, Governo de Tapes, online, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||