Lideranças, órgãos de governo e agricultores chegam a um acerto referente ao uso das águas do Arroio Velhaco

Publicado por bira costa em 28/09/2017 às 18h28

Reunião considera produtiva e histórica foi convocada por sindicatos e mobilizou em Sentinela do Sul setores como Farsul, Incra, Irga, Sindicatos Rurais  e Governo do RS

Redação Online/fotos: Bira Costa

sindicato ruralA preocupante e conflitante situação quanto ao uso racional das águas da Bacia do Arroio Velhaco que corta os municípios regionais, e, que abastece inúmeras lavouras e culturas foi o tema central e mobilizou na tarde desta quinta-feira (28), junto à Câmara de Vereadores de Sentinela do Sul muitos agricultores, e os principais representantes de setores ligados ao meio rural de classe.

Em forma de uma audiência pública, foram expostas por diversas vezes a complicada situação com que este manancial hídrico vem sendo vítima, com riscos de ter sua vida útil encerrada em pouco menos de 40 anos, caso não sejam tomadas medidas urgentes de contenção e regramento atinentes à conduta dos produtores rurais.

Após expor em números e dados científicos e técnicos, o diretor do Departamento de Recursos Hídricos da Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (DRH/Sema), Fernando Meirelles, avaliou que nesta data, foram construídas medidas de compatibilizar os diversos interesses ligados à Bacia do Arroio Velhaco, fato esse que há anos vem sendo perseguido, sem muito êxito.

Ele projeta, após os debates em Sentinela do Sul, que “nos próximos dias teremos um acerto das bases a fim de regularizar o processo de irrigação deste Arroio, dando maior segurança a todos os produtores da região”, sublinhou Meireles.

Atualmente, há cadastrado na Sema 16 produtores rurais buscando a rápida regularização, mas que dentro do sistema de outorgas este número deva chegar a mais de 100 interessados.sindicato rural

Ele respondeu que o atual cenário é preocupante, mas que a solução parte pela boa gestão: “Temos de conduzir o sistema de uso da água do Arroio Velhaco a fim de beneficiar todo mundo (...) a perspectiva é a de fazer uma regra flexível de operação, para que todos consigam fazer a irrigação de modo ordenado e legal, não apenas um ou dois”, apontou.

Segundo um dos proponentes desta reunião, o presidente do Sindicato Rural de Tapes e Sentinela do Sul (SRT), Genésio Moraes, os encaminhamentos foram muito positivos, em todos os aspectos, pois reuniu os principais setores como Farsul Irga, Sema, Incra, agricultores e Sindicatos para dirimir esse impasse sobre o Velhaco.

sindicato rural“Todos os agricultores que utilizam o arroio para irrigar suas lavouras, hoje, não tem licenças ambientais para a produção e, acima de tudo, correm sérios riscos de fortes penas judiciais, pois infringem em crime ambiental”, alertou o dirigente sindical.

O presidente do SRT salientou a boa vontade do diretor do DRH/RS em construir saídas viáveis tecnicamente a esse problema, com o apoio de cada órgão que esteve nesta reunião.

“Ele disse que num período bem curto, seguindo estes protocolos formais, a solução do uso adequado da água virá, um fato que se luta há 70, 80 anos; portanto, a reunião foi muito exitosa, até porque dos 16 interessados e que já tem cadastros na Sema estavam presentes e, por fim, todos concordaram de formalizar um plano de trabalho que, a partir de amanhã, sexta-feira (29/9), vai ser de conhecimento de todos que estiveram aqui, do contrário será inviável de ser captado recursos financeiros e as licenças ambientais”, esclareceu Genésio Moraes.

Por fim, em nome da Farsul, através do Conselho Superior e da área ambiental, falou Domingos Velho Lopres, que avaliou o encontro “histórico”. Para ele, somente pelo fato de todos estarem dispostos a acatar um modelo de regulamentação do manejo hídrico do Arroio Velhaco, onde cada um será um fiscal, fará com que a gestão seja mais eficiente e acabem os conflitos existentes.

Já Paulo Reth JR, do Incra, salientou que a construção coletiva, baseada nas necessidades dos agricultores, fará com que a gestão da água seja mais equilibrada.

“Precisamos adequar a gestão da água do Velhaco, minimizando os conflitos, até acabar para promover a imediata regularização ambiental”, ressaltou o representante do Incra.

sindicato rural

Categoria: Meio Ambiente
Tags: Arroio Velhaco, Genésio Moraes, online, Sindicato Rural de Tapes, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||