Médica veterinária do RS tranquiliza quanto a surto de raiva do morcego hematófago, mas pede cuidados e vacinas no rebanho

Publicado por bira costa em 07/08/2018 às 14h39

No município dois casos foram confirmados com a morte de gado

Redação Online/foto: Bira Costa

médica veterináriaDepois que dois animais, bovinos, morreram decorrente da doença da raiva, a Inspetoria Veterinária em Tapes foi acionada e tomou imediatas providências a respeito das medidas preventivas, a fim de se evitar novos óbitos junto aos rebanhos de gado na região de Tapes.

Os dois recentes focos de morte foram numa Localidade do Capão do Leão, interior de Tapes e, no Sítio dos Ferreira, este o último caso que foi analisado no Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério finamor (IPVDF) do RS.

Na ocasião, um possível surto da doença foi disparado, todavia, sem motivos aparentes, assegura a Inspetoria Veterinária local.

Para isso, uma médica veterinária da Secretaria Estadual da Agricultura esteve no município de Tapes, nesta terça-feira (7), a fim de acompanhar os casos e planejar ações preventivas.

O Portal Online Comunicação e Jornalismo conversou com a veterinária, Giovana Taglieri Evangelista, para saber mais detalhes e projetar às ações pertinentes.

Online: Qual a maior preocupação nesse aspecto, a partir do surgimento da raiva que atingiu dois animais em Tapes:

Giovana Evangelista: A nossa preocupação maior são estes dois casos na cidade.

A raiva é endêmica no País, no RS e no Município. Não é novidade, mas faz alguns anos que não ocorre. Vacina quem quer, vemos que o produtor não se preocupa, não é obrigatória.

Como os animais não são vacinados contamina os demais. Hoje, estamos frente a dois casos pelo fato do desequilíbrio da população de morcegos ou mesmo na colônia, tudo isso porque não há a vacina. Há dois ciclos de raiva: a herbívora do hematófago, onde qualquer mamífero pode se contaminar com o vírus e morrem. E, o ciclo urbano, que atinge cachorro e gato, mas este não vivemos isso hoje. Não há preocupação.

A médica veterinária destacou ainda em sua entrevista que a confirmação, decorrente deste casos de raiva, em Tapes, restringe apenas a estes dois bovinos mortos.

Todavia, esclareceu que, se, porventura, outros casos já acometeram rebanhos, somente mediante comunicado à Inspetoria Veterinária, “É importante termos a confirmação”, ressalta. Por fim, destacou que não há riscos, nem a necessidade de alarmes neste sentido. Ela descartou ainda a possibilidade de que animais doentes venha a ser usados no consumo humano, porque os sintomas da raiva são muito rápidos e fatais.

“Estes morcegos hematófagos ficam somente nas propriedades rurais, portanto, os proprietários devem ficar atentos quanto aos locais onde estes morcegos se escondem, por exemplo, ele é bem maior que o comum, que só consome frutas, etc, este se alimenta do sangue”, acrescentou.

“A Secretaria da Agricultura do RS está atenta e agindo. Cabe, por fim lembrar que, quem teve algum tipo de contato com bovinos doentes da raiva devem se vacinar também”, alertou ao final a médica Giovana Evangelista.

O telefone da Inspetoria Veterinária de Tapes é: 51-3672-1168 e fica na Avenida Getúlio Vargas, nro 496, 2º andar, próximo ao Banrisul, no Calçadão Municipal.

O QUE É A RAIVA BOVINA

A raiva, é uma doença infecciosa que afeta os mamíferos causada pelo vírus da raiva que se instala e multiplica primeiro nos nervos periféricos e depois no sistema nervoso central e dali para as glândulas salivares, de onde se multiplica e propaga. Por ocorrer em animais e também afetar o ser humano, é considerada uma zoonose.

Fonte: Wikipedia

A raiva é uma doença infecto-contagiosa do sistema nervoso que tem como agente etiológico o vírus Rabdovírus, que acomete predominantemente os mamíferos. Esta infecção viral é fatal em praticamente 100% dos casos.

Nos bovinos, esta enfermidade representa grandes prejuízos econômicos para o produtor, bem como um grande impacto na saúde pública. A fonte de infecção sempre é um animal infectado, sendo que o método de transmissão mais comum é a mordida de um animal portador do vírus, embora a contaminação de feridas cutâneas pela saliva recente possa levar à infecção. O principal agente transmissor desse vírus para os bovinos são os morcegos, em especial, o Desmodus rotundus, porém, outras espécies de morcegos hematófagos também podem transmitir o vírus, como o Diphylla ecaudata e Diaemus youngi.

Fonte: https://www.infoescola.com/medicina-veterinaria/raiva-bovina/

Categoria: Saúde
Tags: giovana evangelista, Inspetoria Veterinária, online, raiva bovina, Tapes

Enviar comentário

voltar para Notícias

left normalcase show fsN tsN fwR|left tsN fwB b03s bsd|left fwR show tsN center|c05||image-wrap|login news b01 fwB tsN fwR tsY c10 bsd|normalcase tsN c05 sbss|normalcase c10|login news b01 normalcase c05 c10 bsd|tsN normalcase c05 sbss|signup|content-inner||